Website oficial do Município de Pato Branco

Notícia

Zucchi e agricultores definem nova etapa do Programa Asfalto no Campo

Depois da comunidade de Independência, o Programa Asfalto no Campo, executado pela Prefeitura de Pato Branco desde 2014, atenderá o trecho que leva a comunidade de Nossa Senhora do Carmo, na estrada rural Pioneiro Ricieri Picolo. A definição  aconteceu nesta segunda-feira (23), no gabinete municipal, quando o prefeito Augustinho Zucchi se reuniu com agricultores e lideranças das localidades de Nossa Senhora do Carmo, Passo da Ilha e São João Batista.

Mantendo o compromisso de diálogo permanente com a comunidade, o prefeito Zucchi expôs o planejamento e as condições econômicas para atender as três linhas, consideradas prioritárias devido a situação ruim do calçamento nas vias de acesso. Como em 2015 será possível fazer apenas um trecho de asfalto no interior, os produtores rurais propuseram um sorteio, que determinou a obra na estrada de Nossa Senhora do Carmo.

“Temos o planejamento para um trecho neste ano que exige ainda mais economia e rigor orçamentário. Como as três comunidades detêm condições semelhantes sobre a demanda, fluxo de veículos, produção e transporte escolar, acatamos a sugestão dos representantes e fizemos um sorteio”, explica Zucchi.

Para realizar a obra de 8,4 quilômetros de asfalto quente, o Município contará com R$ 600 mil do Ministério da Agricultura e o restante, em torno de R$ 1,6 milhão, será de recursos próprios. O projeto será cadastrado junto ao órgão do governo federal e, assim que for liberado o recurso, a prefeitura fará a licitação.

“Vamos trabalhar para fazer, até o final de 2016, pelo menos mais um trecho. Caso consigamos novos recursos, poderemos fazer também as ligações do Passo da Ilha e São João Batista, cujos trechos são de 6,3 e 6,9 quilômetros, respectivamente”, adianta o prefeito.

Além de grãos, produtores da região atendida trabalham com leite e possuem aviários. O presidente da Associação de Produtores de Nossa Senhora do Carmo, Valdomiro Bonetti, lembra que o trecho atende também produtores das comunidades São Pedro de Alcântara, São Caetano, Barra do Dourado, São Miguel e parte de São João Batista – que, assim como ele, dependem da estrada para escoamento da produção.

“O asfalto está chegando em boa hora, porque o calçamento está péssimo. Do jeito que a estrada está, nos prejudica muito porque não tem caminhão nem máquina que aguenta. Já pensamos em arrancar o calçamento porque não tem condições”, pontuou Valdomiro, que reside na localidade há 26 anos.

A representatividade da conquista é ainda maior para quem nasceu na comunidade, como é o caso do presidente da Capela de Nossa Senhora do Carmo, Claudio Antonio Cassamareke. Ele acredita que o asfalto contribuirá significativamente no desenvolvimento da região. “Recebemos essa notícia com muita alegria, porque tínhamos muita expectativa. Dependemos da estrada todos os dias e, agora, o nosso lucro será maior porque vamos economizar em manutenção. Estamos mais animados para produzir”, disse.

O presidente da Capela de São João Batista, Sérgio de Menezes, destacou a iniciativa e a transparência com que foi conduzido o processo. “Foi claro, justo e acordado por todos. As três comunidades têm a mesma carência com o calçamento ruim, mas uma foi a vencedora do sorteio. Agora, vamos aguardar pelo nosso trecho, pois hoje a Prefeitura está fazendo asfalto também para nós, agricultores”, pondera.

Primeiro da história

No ano passado, o programa “Asfalto no Campo – Uma história de amor pela agricultura”, atendeu 6,3 quilômetros da estrada rural Pioneiro Irineu Bertani, que dá acesso à comunidade Independência. A primeira obra do Programa Asfalto no Campo recebeu R$ 1,67 milhão em recursos próprios da Prefeitura e atende também produtores das linhas Martinello, Teolândia, São Valentim e Bela Vista.

FAÇA UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ainda não existem comentários