Website oficial do Município de Pato Branco

Notícia

Alunas do Ser Mulher produzem uniformes para profissionais da UPA

Cerca de 120 mulheres participam dos cursos de corte costura, que têm turmas em nível básico, avançado e artesanal

 

Deixar para trás a dificuldade inicial em aprender algo totalmente fora da rotina e ver o resultado da dedicação, é uma conquista vivenciada pelas alunas do curso de corte e costura ofertado pelo Município de Pato Branco, por meio da Secretaria de Assistência Social, como parte do Projeto Ser Mulher, que oferece diversas oficinas às pato-branquenses. No caso do curso de corte e costura, que atende cerca de 120 mulheres em nível básico, avançado e artesanal, as participantes estão fazendo uniformes para os profissionais da Unidade de Pronto Atendimento – UPA 24 horas, de Pato Branco.

As alunas dos três níveis desenvolveram todo o processo de produção dos uniformes. Elas também costurarão lençóis para adultos e para a pediatria, além de materiais em tecido utilizados para procedimentos cirúrgicos, capa para macas, toalhas, aventais, colchas, pijamas e camisolas para pacientes – tudo está sendo destinado à UPA – 24 horas.

A secretária municipal de Assistência Social, Anne Cristine Gomes da Silva, explica que juntamente com a prática, algumas horas do curso são voltadas a noções de cidadania e responsabilidade social, por isso a confecção de peças destinadas à saúde pública. “Na ementa dos cursos há diversas etapas, em que as participantes aprendem todo tipo de costura. Também há espaço para que elas produzam peças para atender solicitações de outras secretarias, além da Saúde. Recentemente, elas costuraram cachecóis infantis, para a Secretaria de Educação e Cultura, que foram entregues a crianças que frequentam os CMEIs”, pontua Anne.

Para ela, esses trabalhos fortalecem a participação das mulheres nas comunidades onde estão inseridas. “Além de aprenderem a manusear as máquinas, cortar e costurar, elas revigoram os vínculos comunitários, trocando experiências e vivências. O fato de verem as crianças e, agora, os profissionais da UPA utilizando peças que elas fizeram, aumenta o sentimento de pertença e valorização enquanto cidadãs”, ressalta Anne.

A professora do curso de corte e costura, Maria Zeni Gruber dos Santos, conta como é acompanhar a evolução das alunas. “Poder transmitir conhecimentos que mudam realidades é muito gratificante. Vê-las conquistando a capacitação, podendo gerar renda ou buscando empregos na área, nos motiva a trabalhar e continuar ensinando”, afirma.

Para Sueli Venturim Beltrame, 60 anos e moradora do bairro Jardim Primavera, o aprendizado está sendo um desafio. “Eu sempre quis aprender, mas depois das duas primeiras aulas eu quis desistir, achei que isso não era para mim. Eu continuei porque elas me convenceram e, agora, que estou vendo as coisas que consigo fazer, fico muito feliz e me sinto bastante realizada”, diz.

Alice do Espírito Santo Silva, 52 anos e moradora do Centro, também compartilhou o desejo antigo de aprender a costurar. “Sempre tive vontade, mas nunca tive a oportunidade. Quando soube do curso sendo ofertado aqui, vi que essa era a chance de realizar meu sonho. No momento atual que o Brasil está vivendo, poder economizar e realizar, em casa, a manutenção das roupas, já é ótimo, é uma economia. Mas eu quero mais, quero conseguir um emprego nessa área e quem sabe, futuramente, ter minha própria sala de costura”, conta.

Projeto Ser Mulher

A Prefeitura de Pato Branco, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, desenvolve o projeto “Ser Mulher”, que conta hoje com cerca de 500 participantes, nos seguintes cursos e oficinas: salão social I; salão social II; costura básica; costura avançada; costura com recicláveis para haitianas; costura artesanal; costura artesanal II; artesanato, customização e reciclagem; flores em E.V.A; pintura em tecido; caixinhas artesanais; pintura e decoração em vidro; tapete de estopa; bordado em chinelo; tricô e crochê; quadros em crochê; mosaico; defesa pessoal para mulheres; organização do lar; confecção de geleias; confecção de sabão; panificação; e informática.

Para mais informações sobre os cursos e oficinas do Ser Mulher, basta ir até a Secretaria de Assistência Social, na rua Teófilo Augusto Loiola, bairro Sambugaro, ou através do telefone (46) 3225-5544.

 

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ainda não existem comentários