Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Pato Branco terá mutirão de exames por imagens

Município investirá mais de R$ 316 mil na realização de 2.842 exames

Nesta segunda-feira, dia 13, o prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi, juntamente com a secretária municipal de Saúde, Antonieta Chioquetta e representantes de clínicas terceirizadas, lançou um mutirão de exames por imagem, com objetivo de zerar a fila de espera existente, especialmente de tomografias e ultrassonografias. Para tanto, o Município investirá mais de R$ 316 mil na realização de 2.842 exames, que estão sendo aguardados pelos usuários.

O prefeito Zucchi pontuou a importância da iniciativa. “Esse novo plano de trabalho contribuirá significativamente na sequência do tratamento das pessoas que estão aguardando pelos exames. Administrar é reconhecer prioridades, por isso, apesar do momento econômico, que é de contenção de gastos, seguimos investindo em Saúde, o que representa o direito à vida e a garantia de se viver com qualidade, assim como priorizamos a Educação, que reflete na cidadania e no nosso futuro”, enfatizou.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Antonieta Chioquetta, dos 2.842 exames represados, 2.493 são para ultrassonografias e 349 referem-se a tomografias. “Os exames eletivos prioritários, de urgência e emergência, são liberados em até 24 horas, ou seja, esses não são exames emergenciais. A fila de espera existente hoje será zerada a partir desse novo plano de trabalho, que tem por objetivo atender a população de forma coletiva e cada vez mais humanizada”, reforçou Antonieta.

O que possibilitou o aumento da oferta de exames foi a predisposição das clínicas por imagem, que prestam o serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS) no município, que ampliaram suas equipes, com a contratação de novos profissionais. Com isso, o cronograma de trabalho do novo mutirão funcionará em horários diferenciados, de segunda a sexta-feira, durante parte da noite, e aos sábados, também durante à tarde.

Contudo, há situações que dificultam a evolução dos trabalhos nesse sentido. Uma delas, a mais preocupante, é que boa parte dos usuários marcam os exames, não comparecem ou não retiram os resultados, comprometendo assim a sequência do tratamento. “Atualmente, quase 30% dos exames que são marcados não são realizados, pois o usuário marca e não comparece. Na grande maioria dos casos, a ausência ocorre sem que o usuário nos comunique, gerando custos à saúde pública e, ainda, tirando a vez de outra pessoa que está aguardando. Isso é um grande agravante, que prejudica o nosso trabalho e contribui significativamente para a formação das filas”, evidenciou Antonieta.

A secretária explica que os usuários serão comunicados sobre o agendamento por telefone, por isso é fundamental que as informações cadastrais estejam atualizadas, pois este é outro fator que compromete a realização dos exames. “Muitos exames são liberados e não conseguimos contatar as pessoas, pois os números dos seus telefones estão desatualizados. Assim, nossa equipe não consegue comunicar o usuário, por isso, contamos com a colaboração da população, que mantenha o seu cadastro sempre em dia”, reforçou Antonieta. A atualização cadastral deve ser feita nas unidades de saúde em que os usuários pertencem.

Quem também alerta sobre a postura dos usuários perante aos exames é a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Maria Julia Cassol. “Muitos usuários não cuidam da própria saúde, pois marcam o exame e não vão, tampouco comunicam que não poderão comparecer. Se continuarmos utilizando a saúde pública de forma irracional, não conseguiremos equalizar a demanda e a oferta, em que a fila de espera por exames continuará existindo. Agradecemos o esforço do Município, mas precisamos conscientizar, sobretudo, a população”, ponderou.

O presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Carlinho Antonio Polazzo, evidenciou a necessidade da realização dos exames represados. “A gestão municipal de Pato Branco se mostra sensível diante esta demanda, que é tão importante para a população. Em momentos de crise, é fundamental saber estabelecer prioridades e reconhecer onde é necessário investir, sempre com responsabilidade e, aqui em Pato Branco, estamos vivendo isso”, destacou.