Website oficial do Município de Pato Branco

Notícia

População conhece as novidades na coleta de lixo de Pato Branco

Quem compareceu ao encontro realizado na noite desta terça-feira (12), no Teatro Naura Rigon, conheceu as novidades do Programa Municipal de Gerenciamento do Lixo Urbano, que entra em funcionamento na próxima segunda-feira, dia 18. O prefeito Augustinho Zucchi apresentou as inovações, explicando e tirando dúvidas sobre a modernização do serviço, que contempla a operacionalização do aterro sanitário e a otimização da coleta do lixo reciclável, com a instalação de contêineres no Centro e a distribuição de bags nos bairros da cidade.

No total, foram investidos R$ 3.093.203,80 para modernizar o sistema de coleta de lixo – valor destinado para a construção do aterro sanitário, na aquisição de três coletores, na reforma da frota de veículos e para a aquisição dos contêineres e bags. “Com economia e rigor orçamentário, conseguimos realizar esse programa, que é o primeiro do gênero na história de Pato Branco. Toda inovação precisa da colaboração da comunidade, por isso, além de contribuir na separação do lixo, também queremos que as pessoas denunciem eventuais casos de vandalismo e nos ajudem na conservação dos contêineres”, destacou o prefeito.

Zucchi ressaltou, ainda, que a otimização do serviço representa sustentabilidade, preservação ambiental e saúde pública. “Esse programa é fundamental para uma cidade considerada modelo de limpeza e organização, como Pato Branco. Seremos referência, também, na coleta e destinação do lixo e isso refletirá no futuro das próximas gerações, bem como no desenvolvimento da cidade”, enfatizou.

As melhorias compreendem o transporte, separação e tratamento do lixo doméstico, sobretudo o lixo reciclável. Para tanto, 300 contêineres foram adquiridos e 40 mil bags serão distribuídos nas residências da cidade. Na prática, quem morar no Centro depositará os recicláveis nos contêineres, voltando com a sacola ecológica para casa. Nos bairros, os bags poderão ser colocados nas lixeiras, nos dias de coleta, em que os profissionais da Cooperativa de Trabalho dos Agentes Ambientais de Pato Branco (COTAAPB) recolherão o material, deixando a sacola para a reutilização da família.

José Antônio Corrêa Neto, síndico de um condomínio residencial situado no Centro, compareceu ao encontro e aprovou as novidades. “A preocupação ambiental é inerente a todos, pois o que fazemos hoje, refletirá amanhã. No nosso condomínio já fazemos a separação do lixo, mas vamos ter uma reunião com os condôminos para falar sobre as novas ações. Temos que organizar esse processo, que é o que a Prefeitura está fazendo, e nós vamos colaborar com isso”, disse.

A professora Rosângela Bolzan reside em Pato Branco há 30 anos e acredita que as melhorias condizem com a realidade da cidade. “Achei a reunião ótima. Vou transmitir as informações para amigos, vizinhos e alunos. Faço a separação dos resíduos em casa, porque isso tem que ser feito. Pato Branco já é uma cidade limpa e agora vai ficar muito mais”, salientou.

Coleta seletiva

O secretário municipal de Meio Ambiente, Nelson Bertani, explicou que os contêineres e bags serão destinados exclusivamente para o lixo reciclável. “Estruturamos e ampliamos a coleta seletiva do lixo, pois a destinação correta dos materiais recicláveis garantirá maior vida útil do aterro sanitário”, ponderou Bertani.

Além disso, cerca de 20 mil cartilhas estão sendo distribuídas na rede pública e privada de ensino, integrando as ações de educação ambiental. A Prefeitura também disponibilizou a versão on-line do guia prático, que possui informações sobre a modernização, bem como os novos itinerários de coleta do lixo orgânico e reciclável. O material pode ser acessado no endereço http://www.patobranco.pr.gov.br.

Diariamente, a Prefeitura de Pato Branco recolhe 57 toneladas de lixo orgânico, atendendo 16 mil residências. Paralelamente, há o trabalho da COTAAPB, que garante a coleta e destinação de 70 toneladas de lixo reciclável por mês. O grupo, formado por 23 pessoas, deixou a sede antiga e está trabalhando, desde o início de agosto, no aterro sanitário – que recebeu investimentos de R$ 2.174.703,80, sendo R$ 1.976.600,00 do Governo Federal e o restante, R$ 198.103,80, de contrapartida da Prefeitura. O local possui área equivalente a 23 hectares e atende as exigências da lei 12.305/2010, que dispõe sobre a política nacional de resíduos sólidos e operacionalização de aterros sanitários no Brasil.

FAÇA UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ainda não existem comentários