Website oficial do Município de Pato Branco

Notícia

Após modernização, coleta do lixo reciclável aumenta em Pato Branco

Eram duas toneladas coletadas por dia – hoje, são 15. Mas, apesar do número expressivo que demonstra a colaboração da população, Secretaria de Meio Ambiente alerta sobre a destinação irregular de resíduos, especialmente nos contêineres da área central

 

Desde 2014, a Prefeitura de Pato Branco implanta medidas para modernizar e otimizar a coleta de lixo orgânico e reciclável, o que também culmina na limpeza pública e no paisagismo. Em relação ao lixo reciclável, medidas como a instalação dos contêineres no anel central e a operação do Aterro Sanitário aumentaram consideravelmente a coleta diária. Se antes eram recolhidas, por dia, duas toneladas de material reciclável, hoje são 15 toneladas diárias.

A estruturação faz parte do Programa Municipal de Gerenciamento do Lixo Urbano, que viabilizou a instalação de 300 contêineres para a coleta seletiva no Centro e a distribuição de sacolas ecológicas nos bairros. Hoje, a Cooperativa de Trabalho dos Agentes Ambientais de Pato Branco (COTAAPB) destina 15 toneladas de lixo reciclável à central de triagem do Aterro Sanitário todos os dias – o espaço possui cerca de 2 mil metros quadrados e disponibiliza infraestrutura necessária para separação e destinação dos resíduos.

O prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi, ressalta que esse trabalho refletirá no futuro das próximas gerações, bem como no desenvolvimento sustentável da cidade. “Os moradores de outras cidades, que vêm nos visitar, ficam encantados ao verem como a nossa cidade é bonita, mas isso demanda, além das ações do poder público, a colaboração da população, para que possamos manter essas condições de limpeza e organização”, destaca Zucchi.

O secretário municipal de Meio Ambiente, Nelson Bertani, acredita que as melhorias e a infraestrutura disponibilizada pelo Município, estimularam a população a criar o hábito da separação dos resíduos. “Há um trabalho permanente de conscientização que também envolve as escolas, com atividades voltadas à preservação do meio ambiente, o que acaba chegando às famílias”, avalia.

Ainda é preciso ter consciência

Contudo, apesar da quantidade expressiva de materiais sendo separados e destinados corretamente pela população, Bertani faz um alerta: há muitos moradores e empresários que não estão destinando corretamente o lixo, misturando resíduos orgânicos com material reciclável, descartando objetos cortantes e animais mortos junto às lixeiras. Segundo ele, isso não ocorre somente nos bairros, mas especialmente nos contêineres instalados no anel Central.

“Outro problema frequente é que muitas pessoas descartam caixas de papelão inteiras, sem desmanchá-las ou dobrá-las, o que acaba ocupando muito espaço dentro dos contêineres. Além disso, muitas lojas e estabelecimentos comerciais deixam caixas e demais embalagens no chão, soltas, o que acaba sendo espalhado pelas ruas e logradouros públicos”, lamenta Bertani.

O secretário lembra, ainda, que essas atitudes são passíveis de notificação e multa para os proprietários dos imóveis e responsáveis pelos estabelecimentos comerciais, conforme prevê a Lei 5.051, de 14 de novembro de 2017. “No Centro, o recolhimento de lixo pelas nossas equipes é diário, o que não justifica esse tipo de atitude. O cronograma nos bairros é alternado, mas atende a demanda dos moradores. Precisamos da colaboração de todos, para que a nossa cidade continue sendo reconhecida pela limpeza e organização”, ressalta Bertani.

A população pode levar entulhos até o Aterro Sanitário. Em caso de dúvidas sobre a destinação correta de algum resíduo, é possível buscar informações na Secretaria de Meio Ambiente, pelo 3220 – 1505.

Limpeza pública e paisagismo

Pato Branco conta com uma varredeira urbana elétrica, que além de reduzir custos, ainda contribui com o trabalho dos garis na limpeza de espaços públicos e grandes estruturas, como feiras e eventos.  Há, ainda, o trabalho permanente de prevenção à dengue e à proliferação do Aedes aegypti, com mutirões de limpeza nos bairros. O paisagismo da cidade também merece destaque, com média anual de cerca de 1 milhão de flores cultivadas nos logradouros e vias.

 

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ainda não existem comentários