Website oficial do Município de Pato Branco

Notícia

Pato Branco lança Programa Acolher


A iniciativa objetiva possibilitar que crianças e adolescentes acolhidos em instituições sejam apadrinhados e desenvolvam vínculos saudáveis

 

Na manhã desta quarta-feira, dia 11, aconteceu o lançamento do Programa Acolher, iniciativa desenvolvida pela Vara da Infância e da Juventude em parceria com o Município de Pato Branco, por meio da Secretaria de Assistência Social. O Programa mediará a interação entre  crianças e adolescentes que foram afastados do convívio familiar e vivem em instituições de acolhimento, com as pessoas que desejam disponibilizar seu tempo e carinho para serem padrinhos ou madrinhas.

O apadrinhamento afetivo já é realizado em diversos locais e possibilita que crianças e adolescentes convivam em um ambiente diferente da sua rotina, vivenciando novas experiências e se desenvolvendo de maneira plena.

A secretária de Assistência Social, Anne Cristine Gomes da Silva, afirma que o programa é um importante avanço para as políticas públicas voltadas às crianças e adolescentes de Pato Branco. “É mais um passo para auxiliarmos no fortalecimento de vínculos e na convivência em sociedade para os que estão em um acolhimento institucional”, avaliou Anne.

De acordo com o psicólogo do Serviço de Auxílio à Infância (SAI), Diego Sgarbossa Adur, o apadrinhamento afetivo oportuniza vivências que a criança ou adolescente dificilmente teria condições de realizar durante o acolhimento. “São situações rotineiras, como ir para um jogo de futebol ou ir ao supermercado, mas que essas crianças dificilmente vivenciam em seu dia a dia e são fundamentais para o seu desenvolvimento e para que aprendam a construir laços afetivos”, ressaltou Diego.

De acordo com Diego, o programa é voltado para crianças que não recebem visitas e que têm a convivência comunitária restringida. Atualmente, em Pato Branco, há 25 crianças e adolescentes acolhidos e, destes, 35% estariam aptos para participarem do Programa Acolher.

O psicólogo também explica que só podem participar do Programa crianças maiores de 7 anos de idade e adultos que não estejam participando de processo de adoção. “Nosso intuito é não gerar expectativas para nenhuma das partes. As crianças acima de 7 anos já compreendem que o apadrinhamento não é uma adoção. Ela irá passar momentos com seu padrinho ou madrinha, mas voltará para a instituição. Já no caso do adulto, também não queremos que ele se apegue a uma criança ou adolescente que ele não possa adotar legalmente, tendo em vista que esta criança pode voltar para sua família de origem”, informou Diego.

Confira as formas de ser um padrinho/madrinha

Acolher

No acolhimento, o padrinho ou madrinha interessado deve ter ciência da importância do seu comprometimento, pois os encontros precisam ser semanais ou quinzenais. A criança ou adolescente é incentivado a estabelecer laços afetivos, aprendendo valores familiares e mantendo um canal de comunicação aberto com seu padrinho ou madrinha, contando sobre sua vida, sendo ouvida e integrada na comunidade, através do convívio com pessoas diferentes das que estão na instituição. As crianças e adolescentes em regime de acolhimento devem ser integradas à rotina familiar onde estiverem apadrinhadas, podendo até, após autorizações judiciais, participar de viagens.

Amigo Legal

Diferente do Acolher, esta modalidade é mais esporádica. O padrinho ou madrinha irá realizar passeios mais curtos com os adolescentes, como ir ao cinema ou praticar uma atividade esportiva (e não há compromisso a longo prazo, podendo ser realizado apenas uma vez).

Grupo de Amigos

Essa modalidade é voltada para grupos ou empresas, como grupos religiosos, grupo de professores, vizinhos, colegas de trabalho, etc., que queiram promover algum tipo de atividade recreativa ou de lazer. Neste caso, o grupo irá até a instituição, onde desenvolverá as atividades.

Amigo de Valor

Contribui com serviços e materiais. “Essa modalidade é para quem, por exemplo, é cabeleireiro e gostaria de ir cortar ou arrumar os cabelos dos adolescentes. A pessoa irá fazer um cadastro e, quando for necessário, nós entraremos em contato e verificaremos a disponibilidade desse profissional ir até a instituição e prestar seus serviços”, disse Diego.

Nesta modalidade, os interessados podem, também, oportunizar que os adolescentes façam um curso, pagando para que ele receba a instrução.

Mais informações

Para participar, os interessados devem se inscrever na Vara da Infância e da Juventude de Pato Branco, apresentando fotocópia de RG, CPF, comprovante de endereço e certidão negativa de antecedentes criminais. Também é necessário preencher uma ficha de inscrição, além de outros documentos. Podem participar pessoas acima de 18 anos, empresas ou grupos de pessoas. Dependendo do tipo de apadrinhamento, uma equipe do Serviço de Auxílio à Infância realizará uma avaliação psicológica, bem como, uma visita domiciliar.

Para mais informações sobre o Acolher, basta entrar em contato com a Vara da Infância e da Juventude, através dos telefones (46) 3272-2555 ou (46) 3272-2556.

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ainda não existem comentários