Website oficial do Município de Pato Branco

Notícia

Agricultoras aprendem técnicas de bordados e trabalhos manuais

O nome do bordado é hardanger. A palavra é complicada, a técnica também, garantem as moradoras da comunidade de Sede Dom Carlos. Mas a dificuldade inicial, comum a tudo que é novo, não desmotivou o grupo que participa do projeto Flor do Campo, realizado pela Prefeitura de Pato Branco. Pelo contrário, elas aguardavam ansiosas pelo curso, que encerrou na quarta-feira (26), como parte do cronograma que leva oficinas de artesanato, ginástica e cursos de culinária a localidades do interior.

Neste ano, serão contempladas 24 localidades rurais, com ações que envolverão cerca de 300 agricultoras. Atualmente, são 68 agricultoras de diversas faixas etárias inseridas em cursos de trabalhos manuais em seis comunidades. As aulas de ginástica ocorrem, hoje, em oito localidades, atendendo aproximadamente 150 mulheres. Novas etapas ocorrerão no decorrer de 2015.

Para o prefeito Augustinho Zucchi, a iniciativa valoriza as mulheres que residem no interior, o que também reflete no bem-estar das famílias e no desenvolvimento do campo. “Igualdade e qualidade de vida para quem reside no interior ou no perímetro urbano. Esse é o nosso compromisso, que vai além de obras de infraestrutura, prioriza também o desenvolvimento das famílias. No interior, temos o Flor do Campo e, para os nossos bairros, o Ser Mulher, porque reconhecemos o papel e valor da mulher na sociedade”, reforça Zucchi.

Idalina Ronsani, 55 anos, não perde os cursos que acontecem na comunidade de Sede Dom Carlos. Neste ano, além do hardanger ela participou da oficina de pintura e faz as aulas de ginástica. Ativa e participativa, ela comenta a importância de fazer coisas novas, inclusive visa comercializar as peças de aprendeu no novo curso.

“Nós aguardávamos esse curso, tínhamos muita vontade de fazer. Minha nossa, foi uma bênção para nós. É um bordado muito lindo, um bordado valioso. A gente sempre aprende coisas novas, isso é bom, ocupa o tempo vago. Eu quero no futuro vender as minhas peças de hardanger”, disse.

Depois que se aposentou, a professora Eva Aparecida da Rocha Zaniol, 53 anos, começou a participar do Flor do Campo. Ela ressalta os benefícios das atividades para a sua qualidade de vida, bem como das demais moradoras de Sede Dom Carlos.

“É bom aprender coisas diferentes. Cada curso que surge aqui na comunidade eu participo, para sair também da rotina de casa. Esses cursos fazem muita diferença para mim e na vida de todas aqui da localidade. Estamos contentes, é muito bom isso”, contou.

Realização

O Flor do Campo é realizado pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Agricultura, em parceria com a Associação de Mulheres Rurais, com apoio da Secretaria de Esporte, Lazer, Juventude e Idoso, Sindicato Rural, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Senar. Neste ano, o Município destinou R$ 53.195,81 para realização das atividades, atendendo a demanda apresentada pelas agricultoras.

Há, ainda, cursos de transformação de alimentos ofertados em parceria com o Senar. Nessas capacitações, as agricultoras incrementam a culinária do dia a dia com derivados de leite, soja, mandioca e pescado, em que aprendem também técnicas panificação.

 

FAÇA UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ainda não existem comentários